Guias

Published on January 31st, 2011 | by Mauro Laranjeira

7

Perdeu preiboi, agora é OO – Parte I

“Indignação.. caos… medo… pavor…. HAAAAAAAAA….”

ABAP com medo de OO

ABAP com medo de OO

Sei lá porque, mas essas são as palavras que aparecem no rosto de uma galera quando falamos de Orientação à Objetos, classes, métodos, polimorfismo, encapsulamento e tal dentro do ABAP.

Pense assim… tudo que é novo tem idéia de vir para melhorar… Dê uma chance para OO 😉

As classes são nossas amigas =D

Com este post vou tentar descrever a parte chata de OO, conceitos =S

Let´sssssssssss

———————-

Classe

———————–

Primeiro, entenda classe como uma ficha de cadastro, ou seja um MODELO de um cadastro.

Exemplo:

Nome:_____________
Idade:_____________
Sexo:______________

Quando este modelo esta preenchido, então dizemos que este modelo está instanciado.

Exemplo:

Nome: Fulanito da Silva Abapzombie
Idade: 5 anos
Sexo: Machu

AAIIIi SShhooww =D

Temos um “modelo preenchido” = “uma ficha de cadastro preenchida” = “uma classe instanciada”.

Pensando na classe do nosso cadastro, falando agora mais tecnicamente. Podemos entender que NOME, IDADE e SEXO são os atributos da nossa classe de cadastro. Pensando em sistema, para o funcionamento é necessário executar as ações, ou seja, as funcionalidades, como por exemplo INSERIR, ALTERAR e DELETAR. Para que o sistema possa “trabalhar” com o cadastro. Estas ações são os métodos da nossa classe.

———————————-
Encapsulamento
———————————-

Uma classe, método ou atributo podem ter “categorias de visibilidade”.
Por exemplo, usamos para permitir ou não quem possa acessar um método da nossa classe.

Tipos de encapsulamento:
Private: Apenas a própria classe pode acessar. “Quando o seu amiguinho egoísta não empresta nada dele, só ele quem usa

Protected: Apenas as classes filhas, ou seja, as classes que herdam esta classe podem acessar. “É quando tem aquele cidadão que não empresta o carro pra ninguém, mas o seu filho boyzinho pega o carro escondido. O boyzinho usa um objeto que não é dele

Public: O acesso ao objeto não tem restrição. Uma classe ou um programa pode acessar mesmo sem ter vinculo com a classe onde está a declaração. “Quase igual quando você compra um mentos e todo mundo vem e pega, muitas vezes sem nem falar com você“.

Galera… logo mais espero poder continuar esta saga de OO…. até o próximo post….
Abraços a todos aqueles que acham que as classes são nossas amigas!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someonePrint this page

Tags: , ,


About the Author

Motoqueiro fantasma... curandeiro do SAP desde 2006... trago o go-live perdido em um fim de semana... junto 9 mulheres para fazer um filho em um mês... acreditador em histórias de Basis... garimpeiro de dados de teste...



7 Responses to Perdeu preiboi, agora é OO – Parte I

  1. Thiago Losilla says:

    Ae Maurao! Mandou bem man!! Cara, qdo puder, manda um post desse explicando o que é e para que raios serve os Custom Controller's, os Cucos.

    Abras man!! Voces tao mandando bem pra caramba com esse blog man!!

  2. Bruno Cappellini says:

    “O boyzinho usa um objeto que não é dele.”
    huAHUHUAHuAHU muito boa aula! muito obrigado!

  3. Mauricio says:

    Manda mais pu favô!!!!

  4. Haroldo says:

    Muito boa a explicação.
    Parabéns pelo site. É de ótimo conteúdo.

    Agora,
    se for MACHU mesmo, manda mais…rsrsrs

    Abraços…

  5. Aline says:

    Parabéns! Muito bom conteúdo como sempre!

    Para quem está iniciando no mundo Abap, o Abap Zombie é um salvador de vidas!! rsrsrs

  6. Emanuel says:

    Muito bom a explicação ótima analogia..
    Show… Parabéns ao grupo.

  7. CARLOS GOMES says:

    OBRIGADO !!!
    PARABÉNS!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to Top ↑