Dicas ABAP

Published on September 23rd, 2011 | by Mauricio Cruz

2

Função or Not Função? A pergunta que quase nunca é feita!

Uma construção comum no mundo do ABAP:

Simples não é? Consideramos aqui que a função ‘BUSCA_INFORMACOES_ADICIONAIS’ é uma função standard, que vai trazer todas as informações adicionais que vamos precisar de uma material na tabela T_INF_AUX.

É muito bom descobrir que tem uma função standard que retorna todos os dados formatados exatamente do jeito que precisamos. E é exatamente neste sentimento de “felicidade” que mora o perigo… 😕

O grande problema em utilizarmos essas funções “faz-tudo” dentro de LOOPs é que a função pode fazer milhões, ou melhor, bilhões, ou melhor, trilhões de seleções e acessos ao banco e destroçar a performance do nosso programa. Ao longo desses anos trabalhando com ABAP eu tenho notado que poucas pessoas se preocupam em analisar o código dentro da função antes de sair utilizando a “danada” dentro de laços com milhões de registros.

Ludibriado pela facilidade com que os dados chegam mastigados para seu programa, é fácil dar um tiro no pé: ou no seu, ou de alguém que algum dia vai ter que fazer uma análise de performance no programa, que então deve rodar mais lento que o Barrichello na Williams esse ano. 😯

Mas e aí, como resolver?

Infelizmente, não tem uma “regra” que pode ser aplicada: cada caso é um caso. O ideal é que você sempre verifique o que a função faz antes de sair enfiando ela em tudo quanto é LOOP do seu código.

Certa vez eu fiz uma análise de performance num programa gigantesco, e o único problema real do programa era que ele chamava uma função para busca da lista técnica do material diversas vezes sem motivo. Vou usar aqui no exemplo a CS_BOM_EXPLOSION, só para explicar:

Além da função fazer diversos SELECTs em seu processamento, não era necessário chamar a função tantas vezes, afinal, a tabela T_EKPO contém itens de documentos de MM, e itens de diferentes documentos podem ter o mesmo material. Logo, a função era chamada várias vezes para o mesmo material, destruindo a performance do programa para buscar repetidamente a mesma informação.

No caso que eu ajudei a resolver, fizeram um controle para que a função não fosse executada duas vezes para o mesmo material, e isso melhorou a performance do programa em uns 70%. O ideal seria refazer as seleções dentro do programa, fazendo acessos únicos a cada uma das tabelas no banco, mas pelo tempo que tínhamos seria inviável (e viva o dilema do tempo em TI).

Chupinhar a lógica dos selects da função pode ser a solução, ou vai me dizer que você nunca usou uma função que retornava milhões de coisas quando você só precisava de um flag? 😉

Bom, este é só um exemplo, mas a minha recomendação é a de que vocês não sejam ludibriados pela facilidade do retorno das informações e sempre tenham uma noção dos acessos que a função faz. Ou pelo menos dá uma fuçada no google, vai que alguém já sofreu com ela 🙂

Abraços e “beware of the unholy function” 👿

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someonePrint this page

Tags: , ,


About the Author

é pasteleiro há alguns anos e criou o ABAPZombie junto com o Mauro em 2010. Gosta de filosofar sobre fundamentos básicos da programação e assuntos polêmicos. Músicas estranhas, artes marciais e games indies são legais. Zumbis não. Converse comigo no twitter e conheça o meu livro de ABAP!



2 Responses to Função or Not Função? A pergunta que quase nunca é feita!

  1. Grande Mauricio,

    Também vale lembrar que existem funções que dão uma otimizada neste tipo de buscas, como por exemplo a função KNA1_SINGLE_READ ou a MAKT_SINGLE_READ.

    Por conta do tratamento que a função faz com o Buffer, muitas vezes compensa usar estas funções do que utilizar o select direto 😯

    Eu entendi que a idéia do post é de não utilizar funções que fazem 1000 coisas sendo que vc ira utilizar apenas uma informação. :mrgreen:

    Abs,
    Mauro Laranjeira

  2. Mario Eiji Morishita says:

    Pessoal, gostaria de uma ajuda, estou criando um relatorio de Lista Tecnica, aonde a TABELA STKO = Cabeçalho STPO = ITEM, estou usando a tabela MAST e STZU.
    Porem estou com um problema a Tabela STPO não contem o Campo que relaciona a Lista Tenica Alternativa o que é primordial para que posso encontrar os componentes da lista, alguem já passou por este problema.

    Forte Abraço,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to Top ↑